Novos Requisitos para Materiais de Embalagem e Rotulagem na Coreia do Sul
Os produtos cosméticos sul-coreanos estão entre os produtos mais populares da indústria cosmética, representando um dos principais mercados globais deste tipo de produtos. Com a crescente preocupação dos consumidores relativamente ao meio ambiente e a procura crescente por materiais reciclados e recicláveis, a Coreia do Sul está a adaptar os seus regulamentos de forma a tornar-se mais "ecológica" e capacitar marcas e consumidores utilizando processos inovadores de gestão de resíduos.

ENQUADRAMENTO LEGAL NA COREIA DO SUL

Na Coreia do Sul, a Cosmetics Act representa a principal estrutura regulamentar legal para os produtos cosméticos. Existem outros regulamentos, normas e documentos de orientação que apoiam esta Lei e que permitem ao país ter um quadro abrangente para gerir este tipo de produtos. A Cosmetics Act providencia padrões para o fabrico, importação e venda de cosméticos e ingredientes cosméticos, incluindo requisitos detalhados para a rotulagem e publicidade de produtos. O Ministério de Alimentos e Segurança de Medicamentos (MFDS – Ministry of Food and Drug Safety) é a autoridade competente que promulga e executa as regulamentações cosméticas na Coreia do Sul, sendo responsável pela promulgação das regulamentações cosméticas e pelo registo de produtos funcionais. A South Korean Pharmaceutical Traders Association (KPTA) é responsável por emitir aprovações de importação de cosméticos e supervisionar o comércio de cosméticos, conforme explicado numa publicação anterior.

REQUISITOS RELATIVAMENTE AO MATERIAL DE EMBALAGEM E ROTULAGEM

Desde o final de 2019, é proibido o uso de materiais de PVC e garrafas PET coloridas na Coreia do Sul. Desde então, as empresas são também obrigadas a avaliar o grau do material de embalagem (Lei sobre a Promoção da Economia e Reciclagem de Recursos – Act on the Promotion of Saving and Recycling Resources). A reciclabilidade dos materiais de embalagem usados ​​deve ser classificada, dando uma de quatro classificações possíveis: “melhor para reciclar” (best to recycle); “bom para reciclar” (good to recycle); “normal para reciclar” (normal to recycle); e “difícil de reciclar” (difficult to recycle). O grau dado deve ser indicado no produto cosmético.

Existe um número significativo de embalagens/recipientes de cosméticos classificados como “difíceis de reciclar” (recipientes coloridos e feitos de materiais complexos para proteger a eficácia do produto) e os consumidores tendem a considerá-los como “não ecológicos” ou “não amigos do ambiente” (non-environmental friendly). Considerando que os consumidores coreanos estão a exigir cada vez mais produtos mais ecológicos, esta opinião afeta a competitividade no mercado e pode influenciar a imagem de uma marca entre os consumidores coreanos. Para ajudar as empresas a lidar com este assunto, em 2020, a Korean Cosmetic Association (KCA) e a Korean Packaging Recycling Cooperative (KPRC) introduziram o esquema de reciclagem reversa de recipientes de cosméticos (Reverse Recycling Scheme of Cosmetic Containers). O objetivo é minimizar os impactos negativos dos requisitos de reciclagem de embalagens na indústria cosmética.

As empresas cosméticas podem realizar a recolha reversa das embalagens dos produtos dos consumidores e, consequentemente, obter a isenção de rotular os seus produtos como “difíceis de reciclar”. Os produtos podem ser devolvidos pelos consumidores em diferentes locais como lojas de conveniência, centros comerciais, supermercados e lojas da marca, por exemplo. Os fabricantes ou importadores de cosméticos que usam garrafas de vidro, garrafas PET ou outros materiais de embalagem de resina sintética podem candidatar-se a esta isenção.

Em julho de 2021, a Diretriz sobre Símbolos de Reciclagem e Padrões de Qualidade de Rotulagem (Guideline on Recycling Symbols and Standards of Labelling Quality) foi emitida pelo Ministério do Meio Ambiente (MOE) e entrará em vigor no início do próximo ano (1 de janeiro de 2022). Anteriormente, em março de 2021, o MOE emitiu o Guia de Estrutura do Material de Embalagem (Structure of Packaging Material Guide), que já foi implementado.

O símbolo “impossibilitado de reciclar” foi introduzido e deve ser usado quando materiais classificados como “difíceis de reciclar” são misturados com outros materiais ou a embalagem é revestida ou laminada com outros materiais. Isto permite que os consumidores separem os resíduos e fiquem melhor informados sobre os materiais que estão a utilizar.

Houve também uma revisão do texto dos símbolos de reciclagem, introduzindo uma nova isenção para a rotulagem “difícil de reciclar”. Apesar dos recipientes de cosméticos coloridos ou feitos de materiais complexos serem rotulados como “difíceis de reciclar”, se a empresa estabelecer um plano de reciclagem, podem solicitar uma isenção deste requisito.

A Critical Catalyst é constituída por uma equipa de especialistas em assuntos regulamentes que o podem ajudar a colocar os seus produtos cosméticos no mercado sul-coreano. Para qualquer dúvida, não hesite em contatar-nos em info@criticalcatalyst.com.

Referências:

  1. Cosmetics Act 17250 (Apr 7, 2020). Ministry of Food and Drug Safety. South Korea. Available at: https://cosmetic.chemlinked.com/database/view/1008
  2. Guideline on Recycling Symbols and Standards of Labeling Quality (Korean). Available from: https://opinion.lawmaking.go.kr/gcom/admpp/34089?announceType=TYPE6&mappingAdmRulSeq=2000000283399&admRulNm=%EB%B6%84%EB%A6%AC%EB%B0%B0%EC%B6%9C+%ED%91%9C%EC%8B%9C%EC%97%90+%EA%B4%80%ED%95%9C+%EC%A7%80%EC%B9%A8
  3. Act on the Promotion of Saving and Recycling of Resources. Available from: https://www.law.go.kr/LSW/lsInfoP.do?efYd=20210610&lsiSeq=219111&ancYnChk=0#0000

further
reading

notícias e atualidade

Reino Unido propõe proibição de toalhetes húmidos que tenham plástico

A 24 de abril de 2024, o Reino Unido informou a Organização Mundial do Comércio (WTO) sobre uma proposta de regulamentação intitulada The Environmental Protection (Wet Wipes Containing Plastic) (England) Regulations 2024. Esta regulamentação tem como objetivo proibir o fornecimento e a venda de toalhitas humedecidas contendo plástico, incluindo aquelas usadas para cosméticos. O prazo para comentários é até 23 de junho de 2024 e espera-se que o projeto seja adotado em setembro de 2024.

Read More »
dispositivos médicos

Notificações de Segurança em Investigações Clínicas: uma Gap-Analysis das Orientações

As notificações de segurança no âmbito das investigações clínicas em dispositivos médicos são realizadas de acordo com o Artigo n.º 80(2) do RDM. Em maio de 2020, foi publicado o documento MDCG 2020-10/1, definindo os procedimentos para a notificação de segurança no âmbito das investigações clínicas com dispositivos médicos. No entanto, em outubro de 2022, o Grupo de Coordenação dos Dispositivos Médicos (MDCG) publicou uma versão atualizada do documento MDCG 2020-10/1, a orientação MDCG 2020-10/1 Rev 1. Este artigo destaca as atualizações incluídas na nova revisão, analisando as diferenças entre os dois documentos.

Read More »
dispositivos médicos

Responsabilidades de um Mandatário ao abrigo do RDM e RDMDIV  

Caso um fabricante de dispositivos médicos não esteja estabelecido num Estado-Membro da UE, os seus dispositivos só podem ser colocados no mercado da União, caso o fabricante designe um mandatário. O mandatário assume um papel essencial em garantir a conformidade dos dispositivos com a regulamentação da EU, servindo como ponto de contacto. As obrigações e responsabilidades dos mandatários encontram-se no Artigo 11 do RDM e do RDMDIV. No entanto, os requisitos relevantes são clarificados no documento MDCG 2022-16 de outubro de 2022.

Read More »
dispositivos médicos

Ciclo de Vida das Normas ISO

As Normas ISO abrangem um vasto leque de atividades, manifestando o conhecimento de peritos sobre determinados assuntos e proporcionando às entidades reguladoras uma base sólida para uma legislação mais adequada. Existe uma grande diversidade de Normas ISO, que abrangem desde o tamanho dos sapatos que calçamos à qualidade do ar que respiramos. O setor dos dispositivos médicos não é exceção. A ISO apresenta várias Normas Internacionais e orientações que auxiliam o setor a garantir que os dispositivos que chegam ao utilizador são seguros e eficientes e que os requisitos regulamentares nacionais, regionais e internacionais são cumpridos. Mas como é que uma Norma é desenvolvida, revista e revogada?

Read More »
dispositivos médicos

Alteração das Disposições Transitórias do RDM e do RDMDIV da União Europeia

O objetivo da proposta de alteração aos regulamentos é garantir a disponibilização de um vasto leque de dispositivos médicos aos doentes, sem descurar a transição para o novo quadro regulamentar. Esta proposta pretende estender o período transitório (Artigo n.º 120 do RDM), e eliminar os prazos previstos no RDM e RDMDIV da União Eurioeia para o escoamento dos dispositivos (sell-off). Os períodos de extensão serão faseados, dependendo da classe de risco dos dispositivos – dezembro de 2027 para dispositivos de alto risco e dezembro de 2028 para dispositivos de médio e baixo risco.

Read More »
dispositivos médicos

Regulamento de Dispositivos Médicos da União Europeia – Proposta de Extensão do Período de Transição

A transição para o RDM tem sido mais lenta do que o esperado pela Comissão Europeia. A capacidade insuficiente dos organismos notificados e a reduzida prontidão dos fabricantes esteve na base de uma proposta de extensão dos períodos de transição para o RDM, sendo que os prazos dependerão da classe de risco dos dispositivos.

Read More »
dispositivos médicos

MDCG 2022-18 – Artigo 97 do Regulamento de Dispositivos Médicos da União Europeia

O Artigo 97 do Regulamento de Dispositivos Médicos da União Europeia poderá ser uma solução temporária para evitar roturas no fornecimento de dispositivos médicos no mercado da União Europeia.

O documento MDCG 2022-18 apresenta uma abordagem uniforme para a aplicação do Artigo 97 do RDM a dispositivos legacy não-conformes de acordo com as condições definidas pelas autoridades competentes, limitando o impacto no fornecimento de dispositivos médicos seguros e eficientes.

Read More »
dispositivos médicos

Disponibilidade de Dispositivos Médicos na Europa após Implementação do RDM – Resultados do Questionário da Medtech Europe

A implementação do RDM é uma das prioridades para a indústria dos dispositivos médicos, que tem vindo a alocar recursos significativos para assegurar a conformidade com os novos requisitos. Apesar dos esforços, o setor permanece consideravelmente condicionado devido a uma implementação tardia e fragmentada do novo quadro regulamentar.

Read More »