Reino Unido propõe proibição de toalhetes húmidos que tenham plástico
A 24 de abril de 2024, o Reino Unido informou a Organização Mundial do Comércio (WTO) sobre uma proposta de regulamentação intitulada The Environmental Protection (Wet Wipes Containing Plastic) (England) Regulations 2024. Esta regulamentação tem como objetivo proibir o fornecimento e a venda de toalhitas humedecidas contendo plástico, incluindo aquelas usadas para cosméticos. O prazo para comentários é até 23 de junho de 2024 e espera-se que o projeto seja adotado em setembro de 2024.
Picture of Bruna Rolo

Bruna Rolo

Chief Marketing Officer

O Reino Unido propôs, a 24 de abril de 2024, uma regulamentação intitulada The Environmental Protection (Wet Wipes Containing Plastic) (England) Regulations 2024, à Organização Mundial do Comércio (OMC). A regulamentação visa eliminar o fornecimento e venda de toalhetes húmidos contendo plástico, incluindo os cosméticos. O público pode apresentar comentários sobre o projeto até 23 de junho de 2024, com a adoção esperada para setembro do mesmo ano.

Os toalhetes húmidos, peças de tecido de uso único saturadas numa solução líquida, incluem uma variedade de produtos, como toalhetes para bebé, toalhetes cosméticos, toalhetes de higiene pessoal e toalhetes de limpeza. Estes toalhetes contendo plástico degradam-se em microplásticos ao longo do tempo, o que pode afetar negativamente a saúde humana e os ecossistemas. Numa pesquisa do Reino Unido, foi encontrada uma média de 20 toalhetes húmidos por cada 100 metros de praia.

Os toalhetes húmidos representam um risco tanto para humanos quanto para animais, pois podem acumular poluentes biológicos e químicos quando entram no ambiente aquático. A proibição proposta visa reduzir a poluição por plásticos e microplásticos e diminuir a quantidade de microplásticos que entram nas instalações de tratamento de águas residuais devido ao despejo inadequado.

A consulta pública indicou um forte consenso a favor da proibição, com 95% dos respondentes em concordância. A proibição será implementada através de legislação secundária ao abrigo da Environmental Protection Act 1990.

A proibição proposta inclui:

Cobertura: Fornecimento e venda de toalhetes húmidos contendo plástico no Reino Unido. A fabricação para outros mercados globais ainda será permitida.

Exceções: Usos industriais e médicos estão isentos. Hospitais, locais de produção de alimentos e farmácias comunitárias ainda podem comprar estes toalhetes, mas não para venda ao consumidor.

Cronograma Legislativo: Introdução das regulamentações para proibir toalhetes húmidos de plástico de uso único antes do recesso de verão, com a legislação em vigor até ao final de 2024, sujeito a ajustes devido às eleições gerais.

Período de Transição: Um período de transição de 18 meses para os fabricantes mudarem para toalhetes húmidos sem plástico após a promulgação da legislação.

Aplicação:

  • Em Inglaterra, a aplicação envolverá principalmente sanções civis.
  • No País de Gales, a aplicação pode incluir sanções criminais ou civis.
  • Na Escócia, a aplicação envolverá legislação secundária ao abrigo da secção 140 da Environmental Protection Act 1990.
  • Na Irlanda do Norte, os planos de aplicação estão em desenvolvimento.

Espera-se que os Padrões de Comércio e as Autoridades Locais realizem a aplicação desta regulamentação, com orientações detalhadas a serem fornecidas posteriormente.

Revisão: Avaliações regulares serão realizadas para determinar a extensão da proibição, as suas exceções e os materiais que cobre.

Department for Environment, Food & Rural Affairs – The Environmental Protection (Wet Wipes Containing Plastic) (England) Regulations 2024 

 

Need help with regulatory affairs?

Within the shortest time, we can make your products go through the whole registration process and allow them to be sold in the 31 countries of the European Economic Area (EU + EFTA).

Contact us

further
reading

notícias e atualidade

Citral sob revisão: Opinião Preliminar da SCCS

The SCCS was tasked by the European Commission to evaluate if the safety levels for Citral, determined through QRA2 based on skin sensitization induction, are sufficient to safeguard consumers. A preliminary opinion was released.

Read More »
notícias e atualidade

O alumínio em cosméticos é seguro para a saúde humana?

O Comité Científico para a Segurança dos Consumidores (SCCS) publicou a sua Opinião Final sobre a segurança do alumínio em produtos cosméticos. Isto acontece após um processo de revisão extenso que começou em 2013, quando o SCCS foi inicialmente encarregado de avaliar os potenciais riscos para a saúde do alumínio (Al) e dos seus compostos em cosméticos.

Read More »
notícias e atualidade

Prata em Cosméticos: Parecer preliminar do SCCS.

Ingredientes: ALUMÍNIO

O recente parecer preliminar do Comité Científico para a Segurança do Consumidor (SCCS) sobre a prata em cosméticos é crucial para consumidores e fabricantes. Este artigo destaca os pontos-chave, tornando mais fácil compreender as implicações e manter-se informado.

Read More »
notícias e atualidade

Reino Unido propõe proibição de toalhetes húmidos que tenham plástico

A 24 de abril de 2024, o Reino Unido informou a Organização Mundial do Comércio (WTO) sobre uma proposta de regulamentação intitulada The Environmental Protection (Wet Wipes Containing Plastic) (England) Regulations 2024. Esta regulamentação tem como objetivo proibir o fornecimento e a venda de toalhitas humedecidas contendo plástico, incluindo aquelas usadas para cosméticos. O prazo para comentários é até 23 de junho de 2024 e espera-se que o projeto seja adotado em setembro de 2024.

Read More »
dispositivos médicos

Notificações de Segurança em Investigações Clínicas: uma Gap-Analysis das Orientações

As notificações de segurança no âmbito das investigações clínicas em dispositivos médicos são realizadas de acordo com o Artigo n.º 80(2) do RDM. Em maio de 2020, foi publicado o documento MDCG 2020-10/1, definindo os procedimentos para a notificação de segurança no âmbito das investigações clínicas com dispositivos médicos. No entanto, em outubro de 2022, o Grupo de Coordenação dos Dispositivos Médicos (MDCG) publicou uma versão atualizada do documento MDCG 2020-10/1, a orientação MDCG 2020-10/1 Rev 1. Este artigo destaca as atualizações incluídas na nova revisão, analisando as diferenças entre os dois documentos.

Read More »
dispositivos médicos

Responsabilidades de um Mandatário ao abrigo do RDM e RDMDIV  

Caso um fabricante de dispositivos médicos não esteja estabelecido num Estado-Membro da UE, os seus dispositivos só podem ser colocados no mercado da União, caso o fabricante designe um mandatário. O mandatário assume um papel essencial em garantir a conformidade dos dispositivos com a regulamentação da EU, servindo como ponto de contacto. As obrigações e responsabilidades dos mandatários encontram-se no Artigo 11 do RDM e do RDMDIV. No entanto, os requisitos relevantes são clarificados no documento MDCG 2022-16 de outubro de 2022.

Read More »
dispositivos médicos

Ciclo de Vida das Normas ISO

As Normas ISO abrangem um vasto leque de atividades, manifestando o conhecimento de peritos sobre determinados assuntos e proporcionando às entidades reguladoras uma base sólida para uma legislação mais adequada. Existe uma grande diversidade de Normas ISO, que abrangem desde o tamanho dos sapatos que calçamos à qualidade do ar que respiramos. O setor dos dispositivos médicos não é exceção. A ISO apresenta várias Normas Internacionais e orientações que auxiliam o setor a garantir que os dispositivos que chegam ao utilizador são seguros e eficientes e que os requisitos regulamentares nacionais, regionais e internacionais são cumpridos. Mas como é que uma Norma é desenvolvida, revista e revogada?

Read More »