Avaliação de Segurança do Talco pela Health Canada
No Canadá, o Talco foi identificado como uma substância prioritária para avaliação, então o Ministério do Ambiente e o Ministério da Saúde realizaram uma avaliação de segurança deste mesmo ingrediente. No que concerne à exposição por inalação e perineal, o Talco pode constituir um potencial perigo para a vida ou saúde humana.
Marta Pinto

Marta Pinto

Consultora Assuntos Regulamentares

TALCO

O Talco (número CAS: 14807-96-6) é um mineral que ocorre naturalmente e que consiste em silicato de magnésio hidratado, podendo às vezes conter pequenas quantidades de silicato de alumínio. É utilizado em cosméticos e produtos de higiene pessoal como abrasivo, absorvente, antiaglomerante, espessante, opacificante e protetor da pele. De acordo com o Regulamento Europeu de Cosméticos (CE) n.º 1223/2009, o Talco está incluído na lista de substâncias que os produtos cosméticos não devem conter, exceto sob restrições estabelecidas (Anexo III, entrada 59). Na União Europeia (UE), os produtos que contêm Talco devem conter uma frase de aviso na sua rotulagem para garantir o uso seguro por crianças com menos de 3 anos de idade, abordando o potencial de sobre-inalação. A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA inclui o Talco (silicato de magnésio) na sua lista de substâncias geralmente reconhecidas como seguras (GRAS – Generally Recognized As Safe) para uso em alimentos como um agente antiaglomerante. A FDA permite também o uso de Talco como aditivo alimentar indireto (corante em polímeros) e como corante em drogas.

AVALIAÇÃO DE SEGURANÇA DO TALCO

No Canadá, o Talco é usado de forma semelhante ao resto do mundo, como um aditivo alimentar, em produtos cosméticos e em uma ampla gama de outros produtos (por exemplo, têxteis, adesivos e selantes, brinquedos, materiais plásticos e borracha, etc.). O Ministério do Ambiente e o Ministério da Saúde do Canadá realizaram uma avaliação de segurança do Talco (de acordo com a seção 74 da Lei Canadense de Proteção Ambiental, 1999 – CEPA –Canadian Environmental Protection Act).

Não foram identificados efeitos críticos para a saúde através das vias de exposição oral (ingestão de alimentos) ou dérmica (produtos de “autocuidado”/cuidados pessoais). Portanto, o foco da avaliação de segurança realizada pela Health Canada foi a exposição perineal e exposição por inalação a determinados produtos de autocuidado que contêm Talco de grau cosmético ou farmacêutico.

Com base em tudos relaizados em ratos e ratazanas pelo National Toxicology Program (NTP) dos EUA, o Talco pode induzir efeitos pulmonares (não cancerígenos), como inflamação e comprometimento da função pulmonar e fibrose. Existe um potencial de exposição ao pó de Talco por inalação durante o uso de alguns produtos de cuidados pessoais (cosméticos, produtos naturais para a saúde, medicamentos não sujeitos a receita formulados como pós soltos e não como pós compactados).

Os especialistas também consideraram que, de acordo com os estudos humanos disponíveis (literatura revista), existe uma “associação positiva consistente e estatisticamente significativa entre a exposição perineal ao talco e o cancro de ovário”. Os dados disponíveis são indicativos de um efeito casual e, uma vez que existe um potencial de exposição perineal ao Talco a partir do uso de certos produtos de cuidados pessoais (como Talco para o corpo ou para bebé, fraldas e cremes para assaduras, antitranspirantes genitais e desodorizantes, toalhitas húmidas para o corpo, bombas de banho, espumas de banho), concluiu-se que existe uma potential preocupação para a saúde humana.

A nível ambiental, o Talco é considerado persistente, mas não preencheu os critérios de bioacumulação (estabelecidos nos Regulamentos de Persistência e Bioacumulação do CEPA – Persistence and Bioaccumulation Regulations) e foi considerado de baixo risco para o meio ambiente.

Resumindo, a maioria dos produtos de consumo que contêm Talco não são motivo de preocupação a vida ou a saúde humana. Mas quando falamos sobre certos produtos e a sua inalação e exposição perineal, a conclusão obtida pela Health Canada na sua avaliação de segurança foi que o Talco “está a entrar ou pode entrar no ambiente numa quantidade ou concentração ou sob condições que constituem ou podem constituir um perigo no Canadá para a vida ou saúde humana ”. Os consumidores devem evitar produtos cosméticos que contenham Talco na forma de pó solto ou que se destinem à área genital.

Referencias:

  1. Regulation (EC) No 1223/2009 of the European Parliament and of the Council of 30 November 2009 on cosmetic products. Available from: [https://ec.europa.eu/health/sites/health/files/endocrine_disruptors/docs/cosmetic_1223_2009_regulation_en.pdf]
  2. Screening Assessment Talc (Mg3H2(SiO3)4). Government of Canada. Available from: [https://www.canada.ca/en/environment-climate-change/services/evaluating-existing-substances/screening-assessment-talc.html#toc0]

further
reading

notícias e atualidade

Obrigações das Empresas de Cosméticos sob o Regulamento REACH

REACH é um regulamento da União Europeia (UE) que significa Registo, Avaliação, Autorização e Restrição de Produtos Químicos (Registration, Evaluation, Authorisation and Restriction of Chemicals). Todas as substâncias químicas fabricadas e comercializadas na UE, sejam usadas no nosso quotidiano (por exemplo, roupas, produtos de limpeza, cosméticos) ou processos industriais, são regulamentadas pelo REACH.

Read More »
notícias e atualidade

Avaliação de Segurança do Talco pela Health Canada

No Canadá, o Talco foi identificado como uma substância prioritária para avaliação, então o Ministério do Ambiente e o Ministério da Saúde realizaram uma avaliação de segurança deste mesmo ingrediente. No que concerne à exposição por inalação e perineal, o Talco pode constituir um potencial perigo para a vida ou saúde humana.

Read More »
notícias e atualidade

Nova Revisão das Notas de Orientação do SCCS

O SCCS emitiu uma nova revisão das suas notas de orientação (Notes of Guidance) para o teste de ingredientes cosméticos e sua avaliação de segurança. Esta 11ª revisão foi aprovada na sua reunião plenária de 30-31 de março deste ano, e atualiza a 10ª revisão publicada em 2018.

Read More »
notícias e atualidade

O Propilparabeno ainda é considerado seguro pelo SCCS?

O propilparabeno foi avaliado várias vezes pelo Comitê Científico de Segurança do Consumidor da Comissão Europeia (SCCS). No ano passado houve um pedido de parecer científico sobre a avaliação de uma lista de ingredientes, incluindo o Propilparabeno. Em março deste ano (2021), o SCCS emitiu parecer solicitado sobre esse ingrediente.

Read More »
notícias e atualidade

China – Será o Fim do Requisito de Testes em Animais para Cosméticos?

Testar cosméticos em animais já é proibido na União Europeia há vários anos mas, até agora, era obrigatório realizar este tipo de testes para se poder disponibilizar um produto cosmético no mercado Chinês. A partir de 1 de Maio (2021), os testes em animais deixarão de ser uma exigência para os produtos cosméticos “gerais” importados para a China.

Read More »
notícias e atualidade

Nova Rotulagem Ambiental em Itália

Em setembro, Itália fez mudanças na sua regulamentação ambiental, tendo um impacto direto na marcação das embalagens de produtos, incluindo produtos cosméticos. De acordo com o novo Decreto Legislativo Italiano (nº 116, de 3 de setembro de 2020), todos os produtos devem ter a “rotulagem ambiental” presente na embalagem.

Read More »
notícias e atualidade

Opinião do SCCS sobre a Benzofenona-3

Em 2019, o ingrediente Benzofenona-3 foi incluído numa lista considerada de alta prioridade devido à potencialidade para desregulação endócrina. Por isso, o SCCS (Scientific Committee on Consumer Safety) foi convidado a avaliar a sua segurança quando usado em produtos cosméticos. Em março do presente ano (2021), o SCCS publicou o seu parecer sobre este mesmo ingrediente.

Read More »
notícias e atualidade

Produtos Cosméticos Naturais e Orgânicos

Hoje em dia, os consumidores estão a exigir cada vez mais produtos naturais e orgânicos, principalmente quando falamos em produtos cosméticos. É imperativo que as empresas e fabricantes de cosméticos sigam esta tendência. Em 2016 e 2017, a International Organization for Standardization (ISO) estabeleceu diretrizes para definições técnicas e critérios relativos a cosméticos naturais e orgânicos.

Read More »
notícias e atualidade

Alegações “Anti-Poluição” em Produtos Cosméticos

Hoje em dia, é possível encontrar no mercado diversos produtos cosméticos com alegações de “proteção antipoluição”, “escudo antipoluição”, “contra os danos da poluição” e similares. Mas como pode uma empresa testar e provar estes tipos de alegações?

Read More »